Crônica | Não queria ter ido.

Cheguei, subi o elevador, toquei a campainha. A porta estava trancada. Antes que eu pudesse falar, falou ela. Não parava de falar, enquanto eu simplesmente ficava de estômago embrulhado. Eu não fui pra ouvir, nem pra conversar. Vendo a minha reação, terminou seu discurso, achando que havia feito o maior bem da História. Talvez um dia se dê conta de que piorou as coisas e perdeu um tempo precioso da vida, tentando transformar uma pessoa consciente em um penico para despejo de asneiras. Mas, ainda não foi daquela vez. Irritado, simplesmente virei as costas e fui embora. Que dia desnecessário. A estupidez cega tanto as pessoas que elas acreditam piamente de que são o ápice da inteligência e utilidade, mas são apenas o motivo pelo qual muita gente prefere se suicidar, apenas pra não ter que dividir o mesmo planeta.

Rodrigo Meyer

Anúncios